As três palavras mais estranhas

Quando pronuncio a palavra Futuro,

a primeira sílaba já se perde no passado.

Quando pronuncio a palavra Silêncio, suprimo-o.

Quando pronuncio a palavra Nada,

crio algo que não cabe em nenhum não ser.

Wislawa Szymborska em "Poemas", 2011.

Szymborska.jpg